Após desenvolver câncer por roer unhas, estudante tem dedo amputado

A estudante desenvolveu uma forma rara de câncer de pele. Roer as unhas foi uma maneira de lidar com o bullying que sofria na escola.

Roer a unha é um hábito que muitas pessoas desenvolvem ao longo da vida. As pessoas que sofrem de ansiedade, em geral adquirem essa mania por conta do nervosismo. Começa como algo para acalmar, ocupar a mente e se transforma em mania. O que não se sabe é que esse ato que parece não ter maiores consequências pode se tornar grave para algumas pessoas.

É o caso da jovem Courtney Whithorn, de 20 anos que por conta do bullying sofrido na escola passou a roer as unhas. A moça conta que há alguns anos atrás chegou a roer toda a unha do dedão, fazendo assim com que ele ficasse na carne viva.

Passados alguns anos, a coloração da unha foi mudando e se tornando mais escura e por vergonha ela passou a escondê-la dos amigos e também dos pais. A moça guardou esse segredo para si durante 4 anos! Segundo ela, passou a andar com a mão fechada, sempre cobrindo o dedão, mas com a mudança da coloração acabou se assustando e mostrando para aos pais.

Naturalmente que seus pais a levaram ao médico, que avaliou a situação que, por conta do trauma causado pelas constantes mordidas no mesmo local onde a unha nascia, um câncer apareceu no local, o melanoma acral lentiginoso subungueal.

A jovem Courtney, estudante de Psicologia Brisbane, na Austrália passou por várias cirurgias na tentativa de se recuperar da lesão, curar o câncer e manter o dedo, mas foi obrigada a amputar o membro no último ano (2018) como “protocolo” de seu tratamento.

A moça conta que sofreu demais com esse episódio e só aceitou amputar o dedo quando descobriu que o câncer estava se espalhando.

Embora alguns dos médicos tenham dito que roer a unha e o trauma acarretado por conta disso, tenha sido o causador do câncer, há médicos que discordam, como é o caso do Dr. Nis Sheth, dermatologista  que em entrevista  ao site do jornal Daily Mail afirmou:

 “embora traumas físicos tenham sido associados com o aparecimento de alguns tipos de câncer de pele, é improvável que apenas o ato de roer as unhas tenha causado a doença”.

 

 

Escrito por Telma Myrbach

Colunista de notícias e fatos sobre famosos, entretenimento e o que se relaciona à mulher e seus direitos e deveres, bem como maternidade