Criança de 11 anos é castigada com jejum e morre por desnutrição

A mãe e o padrasto de uma menina de 11 anos, foram presos por envolvimento na morte da criança. Eles mantinham a vítima em cárcere privado há cinco meses.

Um caso chocante aconteceu em Ubatuba na última quinta-feira, 24. Uma menina de apenas 11 anos, acabou morrendo após ser submetida a fazer jejum. A criança ficou desnutrida e foi a óbito, conforme informou a Polícia Civil.

A mãe e o padrasto da menina, são suspeitos de estarem envolvidos na morte da criança, o casal foi preso na tarde de sexta-feira, 25. Segundo informações policiais, eles mantinham a criança presa em cárcere privado, situação que estava acontecendo a cerca de cinco meses.

O caso foi descoberto, após o casal levar a menina ao pronto socorro na noite de quinta-feira, onde a polícia foi chamada. As informações colhidas pela polícia no hospital, é que a criança já chegou sem vida ao local, os médicos responsáveis pelo atendimento, atestaram desnutrição e palidez.

A mãe e o padrasto da menina, foram presos em flagrante. No depoimento colhido na sexta-feira, a mãe confessou, que mantinha a filha em cárcere privado. Segundo informações, ela revelou que a menina ficava no chão em um tapete de E.V.A, em um apartamento da família.

A mulher contou ainda, que a criança ficou trancada dentro de casa, por cinco meses. A vítima era obrigada a fazer jejum e orar, método usado pelo casal para corrigir e castigar atos considerados errados, tais como mentir. Dentro destes cinco meses, a vítima teria saído de casa apenas duas vezes e seu irmão de 8 anos, também recebia estes tipos de castigos.

As informações da polícia, são de que na terça-feira, 22, que antecedeu ao falecimento da criança, o casal obrigou a vítima a fazer jejum de dois dias, podendo apenas beber água. Na quinta-feira, a vítima passou mal devido a desnutrição em que seu corpo estava, não aguentou e faleceu. Ao ser interrogado, o padrasto da criança, ficou em silêncio durante todo o tempo.

A mulher e mãe da vítima, de 26 anos e o padrasto, de 47 anos, deverão responder pelos crimes de tortura com morte, abandono intelectual e cárcere privado. O menino de 8 anos, irmão da vítima, foi levado para um abrigo e ficou sobre responsabilidade do Conselho Tutelar que está prestando os devidos cuidado.

 

Escrito por Luh Me

Colunista de notícias, dedicada a Tv e famosos, notícias, entretenimento, saúde, receitas culinárias e curiosidades.