Ex-fiscal revela que Carrefour sempre permitiu usar de violência em caso de ‘problemas’

Um homem negro espancado em uma unidade da empresa acabou vindo a óbito.

A morte de João Alberto Silveira Freitas em uma unidade do Carrefour no Porto Alegre acabou repercutindo no Brasil inteiro, em várias cidades foram realizados protestos e nas redes sociais o assunto ficou no topo dos mais comentados.

João Alberto foi agredido por dois seguranças e acabou vindo a óbito, as imagens acabaram viralizando na web e chocaram a todos. De acordo com o portal UOL, um ex-fiscal que trabalhou no supermercado Carrefour em Porto Alegre contou que a gerência sempre permitiu o ‘emprego de violência’ quando era preciso resolver algum problema com os clientes.

Esse ex-funcionário inclusive já prestou depoimento e fez várias revelações à polícia e tudo que ele disse fará parte das investigações. Esse ex-funcionário do Carrefour contou que muitas vezes a violência era empregada para os suspeitos contarem que furtaram algo.

Outra revelação feita por esse ex-funcionário é que há uma sala sem câmeras de segurança que fica perto do local onde João Alberto foi agredido e que nesse local os seguranças costumavam levar algumas pessoas e nada era gravado.

Esse homem disse que com certa frequência os seguranças levavam pessoas suspeitas de cometerem algum furto para esta sala e os clientes eram constrangidos.

Há várias informações novas sobre o caso que estão vindo à tona e a polícia está analisando tudo. Novas imagens mostraram que João Alberto chegou a dar um soco em um dos seguranças quando estava sendo levado para o estacionamento e foi aí que começaram as agressões.

 

Escrito por Russel Morais

Escrevo notícias sobre o mundo dos famosos, os últimos acontecimentos do Brasil e no mundo, além de curiosidades, dicas, economia, tecnologia.