Linha Amarela volta a ter pedágio com cobrança no sentido da Barra

Valor cobrado por sentido é de R$7,50. Para o Centro carros passam sem pagamento

Ás 0h desta sexta-feira (1) voltou a ser cobrado o pedágio da Linha Amarela. Porém a cobrança está ocorrendo apenas no sentido da Barra da Tijuca no momento. Os carros que passam indo para o sentido do Centro não estão pagando a taxa de pedágio até o momento. A empresa responsável, a Lamsa, afirmou que o período para poder voltar a ser cobrado o pedágio na área é em até 48 horas. Atualmente o valor que é cobrado por sentido é de R$7,50.

No local onde é o pedágio foi colocada uma placa que tem chamado a atenção de quem passa pelo local. A placa com os dizeres “Violência nunca é o caminho”. Esta é claramente uma resposta a ação da Prefeitura do Rio de Janeiro, que na noite do último domingo (27) enviou agentes até o local e acabou quebrando com o uso de retroescavadeiras as cabines e os computadores da empresa. No momento os agentes enviados também retiraram as cancelas do local.

Nesta sexta-feira também foi apresentado pela Prefeitura um projeto para os vereadores da cidade onde foi feito um estudo que esclarece que um pedágio de R$2 em sentido único seria o suficiente para poder pagar a manutenção da Linha Amarela. Também foi convocada nesta sexta-feira uma reunião logo pela manhã para poder determinar entre sete comissões a respeito de um parecer sobre o projeto de lei que foi criado para a Linha Amarela para que ela passe ser de responsabilidade do município.

A destruição da cabine de pedágio da Linha Amarela que aconteceu no último domingo (27) foi um dos capítulos da história da disputa que se iniciou em 2018 entre a Prefeitura do Rio e a empresa Lamsa responsável pelo pedágio em questão.

Não esqueça de deixar o seu comentário. Ele é de grande importância para toda a nossa equipe e sempre contribui para o diálogo de temas com maior relevância para nossos leitores.

Escrito por Redator Seguindo News

Escrevo sobre os mais diversos temas. Prezo pela parceria com os publishers. Os divulgadores que precisam de matérias específicas podem solicitar.