Lula chama Moro de “canalha” e Lava Jato de “quadrilha”

"Eu preciso provar que o juiz Moro não era juiz, era um canalha que estava me julgando", disse o expresidente entre outras afirmações bombásticas

Lula em seu discurso no pequeno picadeiro em São Bernado, cidade de São Paulo, no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, rodeado por uma multidão de partidários se posicionou livremente, depois de quase 2 anos de prisão (mais precisamente 580 dias) e pronunciou-se neste sábado (9).

Ele fez duras críticas à Operação Lava-Jato. Dentre muitas das declarações a quem vem trazendo mais polêmica é a seguinte:

“Eu tomei a decisão de ir lá para a Polícia Federal porque eu preciso provar que o juiz Moro não era juiz, era um canalha que estava me julgando. Eu precisava provar que o Dallagnol não representa o MP, que é uma instituição séria. Ele montou uma quadrilha com a Força-Tarefa da Lava Jato, inclusive para roubar dinheiro da Petrobrás e das empreiteiras.”

Lula ainda afirma, nesse mesmo discurso que, caso ele tivesse ido para outro país, estaria sendo considerado um fora-da-lei fugitivo.

Além das palavras duras, o presidente também mostrou gratidão. Ele agradeceu à multidão dizendo que sabe que os presentes ali tentaram tudo o que puderam para que ele nem fosse preso e tentaram mais ainda quando ele já estava na prisão, para que ele fosse solto então, o fato de ele estar ali diante da multidão, era mérito de cada um dos presentes.

O carro alegórico que recebeu o ex-presidente tocava a música “Anunciação” de Alceu Valença. A multidão se juntou ao coro da música, naturalmente que se referindo metaforicamente a Lula e a liberdade de expressão brasileira, além da Justiça.

Dia 08 de Novembro

Luis Inácio Lula da Silva, foi solto graças a determinação do STF de de derrubar a prisão em segunda instância.

Livre, ele agradeceu à vigília montada por pessoas que queria sua liberdade e que durante todos os dias de sua prisão estiveram ali para lhe dar bom dia e boa noite. Para dar forças ao homem que criam ser inocente de todas as acusações feitas.

Ele passou a noite ainda na cidade de Curitiba, no Paraná e ao encontrar-se com o ex-ministro José Dirceu e novamente declarou oposição ao governo atual, de Jair Bolsonaro.

Dircei disse que agora que conseguiram a liberdade de Lula, iriam continuar lutando para retomar o governo do Brasil.

Escrito por Telma Myrbach

Colunista de notícias e fatos sobre famosos, entretenimento e o que se relaciona à mulher e seus direitos e deveres, bem como maternidade