Mãe faz desabafo duas semanas após morte de universitária: “Não esqueço de você um só minuto”

Mariana Bazza de 19 anos foi morta após desconhecido a ajuda-la a trocar pneu de carro

Após duas semanas da morte da universitária Mariana Forti Bazza, de 19 anos de idade, sua mãe Marlene Forti Bazza resolveu publicar um texto através de sua rede social para falar a respeito da saudade que sente da filha depois de sua morte.

No desabafo a mãe fala a respeito da dor que é não ter mais sua filha por perto, e poder falar com ela a respeito de coisas do dia a dia, e que a cada dia que passa ela não se esquece um minuto do seu dia da saudade que sente de Mariana.

A jovem foi encontrada morta no dia 25 de setembro, e seu corpo estava em um canavial localizado em Cambaratiba, distrito de Ibitinga. Ela foi encontrada morta após ter recebido a ajuda de um homem desconhecido para poder trocar o pneu de seu carro que havia furado.

A mãe destacou em sua publicação que cada dia que passa desde que a filha morreu, a saudade que ela tem dela vem aumentando cada vez mais e que o que ela mais queria era que a filha estivesse com ela para poder falar sobre a faculdade e a academia.

No último sábado (5) aconteceu a missa de sétimo dia de Mariana. Na cerimônia estiveram centenas de pessoas da cidade que foram prestar suas condolências ao familiares pela perda. O momento aconteceu na paróquia da cidade.

Devido a forma como a jovem foi morta, o fato gerou muita comoção na cidade, fazendo com que cerca de 700 pessoas fossem até a igreja Praça da Matriz para prestar uma homenagem a universitária e seus familiares.

A igreja onde aconteceu a celebração é localizada no centro da cidade, que tem cerca de 35 mil habitantes. A cerimônia da missa de sétimo dias de Mariana foi celebrada pelo padre Érico Thiago Nogueira.

A jovem foi morta após Rodrigo Pereira Alves, de 37 anos ter se oferecido para ajudar Mariana a trocar o pneu de seu carro que estava furado. O momento aconteceu pouco antes da jovem ter desaparecido no dia 24 de setembro.

O homem foi encontrado em Itápolis, cidade que fica localizada a cerca de 60km de Bariri, e foi preso no mesmo dia em que o corpo da jovem foi achado. O suspeito estava escondido na casa de parentes no momento em que foi achado pela polícia.

A polícia na ocasião afirmou que Rodrigo também era suspeito de ter roubado o som do carro de Mariana, além da carteira da universitária. Ele também tentou vender o veículo da jovem no dia em que cometeu o seu assassinato. Ele será indiciado pela polícia por latrocínio.

 

Escrito por Redator Seguindo News

Escrevo sobre os mais diversos temas. Prezo pela parceria com os publishers. Os divulgadores que precisam de matérias específicas podem solicitar.