Mães de prematuros relatam dificuldades e aprendizados: “Desespero”

A campanha do novembro roxo visa alertar sobre o que fazer quando o bebê nasce prematuro.

Uma mulher vai fazer xixi e a bolsa amniótica cai no vaso sanitário, ela estava com 8 dedos de dilatação mas apenas 24 semanas de gravidez.

A bebê, de nome Eva, foi levada imediatamente para a UTI – Unidade de Terapia Intensiva neonatal. A mãe afirma que se recorda apenas de flashs: “Bateu um desespero”.

Priscila Lopes é a mãe do bebê nascido prematuramente e hoje, 3 anos depois ela recorda o quanto o momento foi traumático, mas que com ele aprendeu a dar valor a pequenas coisas e a ter paciência.

Os casos são tão sérios que há até ONGs que cuidam de bebês nascidos de forma prematura. Denise Suguinata, que é diretora de uma dessas ONGs afirma que é um processo doloroso porque toda mãe espera que o filho nasça com cerca de 3,5 kg e no tempo correto.

Ver o bebê completamente diferente do esperado e lutando pela vida em um CTI, deixa os pais angustiados, com sensação de impotência, uma vez que não há muito o que eles podem fazer. É confiar nos médicos e rezar muito para saírem dessa situação de desespero.

Todavia, há luz no fim do túnel: quando o pré-natal é feito corretamente, o médico pode identificar sinais e impedir que o bebê nasça, através da internação da mãe, do repouso e de outras técnicas que mantém o bebê no ventre, de modo que ele nasça o menos prematuramente possível.

Causas do parto prematuro

Hoje, 17 de Novembro é quando celebramos o novembro roxo, dia de conscientização sobre a situação e aumento do conhecimento populacional sobre o assunto.

As causas podem ser bastante diferentes. Uma mulher pode ter alguma doença que faça com que não consiga reter o bebê no útero,  como pressão alta ou o diabetes ou até enfermidades que surgem durante a gestação, que é o caso da infecção urinária. Idade avançada também é outro fator de risco.

É importante saber que hoje em dia hpa muito mais condições de vida para o bebê prematuro, por conta dos avanços da medicina.

Via: uol.com.br

Escrito por Telma Myrbach

Colunista de notícias e fatos sobre famosos, entretenimento e o que se relaciona à mulher e seus direitos e deveres, bem como maternidade