Menino de 12 anos abre escola em seu quintal para ajudar outras crianças

Menino ensina em quintal de sua casa crianças que tem dificuldade em aprender

Algumas vezes já ouvimos falar de pessoas com mais idade que resolvem abrir uma escolinha em seu quintal para ajudar crianças com dificuldades escolares a fazer suas tarefas de casa ou até mesmo ensinar alguma matéria que que a criança possa ter dúvida, isso é normal para nós.

Mais com esse pequeno menino de apenas 12 anos a história dele foi totalmente diferente, invés dele ir para essas escolinhas para aprender suas tarefas escolares.

Ele que resolver abrir no quintal de sua casa uma escola para ensinar outras crianças com dificuldades na escola.

Nicanor é o nome dele, e a cinco anos, ele vem ajudando muitas crianças que mora na sua rua, depois de ver que um de seus colegas tinha dificuldade para fazer as tarefas da escola resolveu então abrir a escola e ajudar seus colegas.

E assim ele continuou a ajudar seu amigo, mesmo assim, com o tempo, mais crianças chegaram para o menino dar sua ajuda.

Foi assim que a escola começou a se formar. O garoto deu o nome da escola de ‘Pátria e União’.

As crianças deram o nome a ele de professor Nico, e o objetivo do menino era de ajudar a todos não só crianças mais sim todos que precisasse independentemente da idade.

Atualmente a escola tem 36 matriculados, e o menino fez questão de separar as turmas em 6 salas de acordo com o conhecimento que cada tem.

Ele frequenta as aulas pela manhã e à tarde ensina seus alunos, é pesado, pois ele é o único professor. Lamentavelmente a escola é ainda muito pequena, e eles não tem condição para melhorar a sala de aula, mas com toda dificuldade o menino não deixa de dar suas aulas e ensinar muitas crianças e até adultos.

Que lindo exemplo que esse menino deu a nos que devemos seguir,

Parabéns Nicanor, que continue assim!

 

 

 

 

Escrito por Hosana Oliveira

Redatora de notícias do meio cristão e atualidades da nossa sociedade. Buscando trazer sempre o melhor conteúdo para nossos leitores.