Menino de 13 anos perde a vida por causa de sinusite; médica faz alerta

O adolescente Marquel Brumley faleceu em março de 2018, mas o alerta é bastante atual; veja sinais para ficar atento

Em Michigan, nos Estados Unidos, em março de 2018 o adolescente Marquel Brumley, de apenas 13 anos faleceu por conta de uma sinusite.
Como isso aconteceu? Ele foi diagnosticado erroneamente pela equipe que lhe atendeu à época.

O rapaz começou apresentar sinais muito parecidos com os de um resfriado, com tosse e coriza. Chegando ao hospital foi diagnosticado com virose e tomou remédios para combater tal doença. A hipótese de sinusite não apareceu em nenhum momento, de qualquer forma, o menino passou a sentir dores de cabeças muito fortes e que não passavam com nenhum medicamento analgésico.

A mãe decidiu então levá-lo a outro hospital. Lá houve novo diagnóstico equivocado: disseram que era enxaqueca e ainda acrescentaram que era muito normal para quem estava na puberdade.

Ao jornal americano Daily Mail, Cameo, a mãe de Marquel relatou:

“Levei meu filho lá para obter ajuda”, disse Cameo. “Eu pensei que era o que eles achavam que era. Eu acreditei neles”, contou ela

As dores foram ficando cada vez piores, o olho esquerdo inchou e o garoto passou a apresentar um quadro de perda de movimento no lado esquerdo do corpo.

“Quando fui novamente com meu filho para a emergência, finalmente os médicos resolveram fazer uma ressonância magnética”, relata.

O exame de ressonância mostrou que o menino estava com sinusite progressiva, que faz com a pressão do cérebro seja muito aumentada por conta de coágulos que se formam e restringem o fluxo de sangue.

Submetido a uma cirurgia para a retirada de líquido do cérebro, Marquel não mais acordou, para o desespero de sua mãe que achava que a cirurgia salvaria a vida do menino que faleceu por morte cerebral.

O alerta médico

A otorrinolaringologista Milena Costa explica que mesmo um resfriado simples pode progredir e acarretar complicações, principalmente entre as pessoas que têm problemas de imunidade.

A especialista disse o seguinte:

“Nesse caso, qualquer gripe, qualquer sinusite pode causar complicações, a questão é ficar atento aos sinais de alerta”, explica a médica. Ela afirma que, no caso de Marquel, os sinais de que o diagnóstico estava errado eram os olhos inchados da criança e a dor de cabeça intensa que não cessou com o uso de analgésicos. “Mas o principal problema foi a demora do diagnóstico correto”.

A doutora Milena lista ainda sinais de alerta:

  1. Olhos inchados, vermelhos e, eventualmente, saltados;
  2. Dor de cabeça muito intensa, sem melhora com o uso de analgésico;
  3. Febre alta;
  4. Vômitos;
  5. Alteração do estado de consciência (como desmaio e sonolência).

Em havendo esses sinais é indicado levar o doente ao médico e indicar todos os sintomas. D

Escrito por Telma Myrbach

Colunista de notícias e fatos sobre famosos, entretenimento e o que se relaciona à mulher e seus direitos e deveres, bem como maternidade