Morte de moça em acidente de transporte público é detalhada e chega a arrasa os familiares

Elisângela teria sido uma das vítimas do acidente entre um caminhão e um transporte público em Taguaí, São Paulo.

A jovem Elisângela Aparecida Mingote, de apenas 24 anos, teria tatuado um terço em seu próprio braço há pouco tempo. Na última quarta-feira, dia 25 de novembro, a moça saiu de sua residência atrasada, ao caminho do trabalho. Com o destino de chegar no ponto onde o transporte público da Star passa e a leva para seu serviço; a moça tomou a decisão de pegar somente uma carona.

Com toda aquela correria, teria dado tempo de Elisângela pegar seu ônibus e ir ao trabalho. O cunhado da jovem, identificado como Felipe Martins; disse que eles chegam até brincar, falando que não seria para ela ir trabalhar aquele dia. Ele revela que ela saiu bem atrasada da residência de seus sogros e teria pegado uma carona para conseguir chegar no ponto do transporte público.

A moça só teria conseguido ir, pois, o transporte também se encontrava atrasado e teria passado pelo lugar por um horário mais tarde do que costumo passar; completou Felipe. No decorrer do caminho, a jovem tinha um costume de colocar um tapa-olho e logo cochilar. Diversas pessoas que se encaminhavam para a empresa têxtil, acabavam fazendo o mesmo, já que teriam acordado bastante cedo e ainda estavam com sono.

Por cerca das 7 horas, o transporte chegou a bater logo de frente com o outro veículo perto de uma curva da Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho. 41 vítimas faleceram no acidente, entre elas, Elisangela que estava com o tapa-olho em seu resto. Os familiares da moça teriam ficado sabendo da tragédia por cerca das 7 horas e 50 minutos. A família teve dificuldades de conseguir reconhecer seu corpo no IML por conta de seu estado.

Escrito por Redator Seguindo News

Escrevo sobre os mais diversos temas. Prezo pela parceria com os publishers. Os divulgadores que precisam de matérias específicas podem solicitar.