Namorada e amigos de médico brasileiro que morreu após testar a vacina contra COVID-19, sofrem com a perca e desabafam: “Dói muito”

Namorada lamentou a perca do médico. Ele morreu de COVID-19 e havia se voluntariado aos testes para a criação de uma vacina.

Recentemente, foi anunciada a morte de um médico que se voluntariou para participar dos testes que buscam criar uma vacina contra a COVID-19. Os testes estavam sendo desenvolvidos pela Universidade de Oxford, contudo tiveram a criação interrompida devido a problemas na segurança do imunizante.

O médico foi identificado como João Pedro R. Feitosa. Ele morreu pelas complicações causadas pelo Coronavírus. João tinha 28 anos de idade. Ele se formou em medicina no ano passado. Contudo, não hesitou em atuar na linha de frente no combate da doença, atuando tanto em hospitais públicos quanto particulares do Rio de Janeiro.

A morte do médico causou muita comoção entre amigos, familiares e outros profissionais da saúde. A namorada de João desabafou e lamento a perca de um grande profissional, um ótimo amigo, irmão e namorado.

João foi aluno da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Ele se formou com honras e a universidade fez questão de publicar um texto se despedindo e homenageando o ex-aluno.

A namorada do médico contou que as linhas traçadas em sua vida ficarão para sempre e que o desfecho desta jornada ainda trazia muita dor. Ela definiu que dói muito tentar entender.

A Rede Globo apurou que o médico tomou um placebo. Ou seja, ele não chegou a receber o imunizante em desenvolvimento, mas apenas uma dose sem efeitos no organismo.

A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não determinou a suspensão dos estudos em nosso país.

Escrito por Juliana Gomes De Souza

Colunista de notícias sobre diversos assuntos. Apaixonada por literatura e a arte da escrita. Escrevo sobre tudo que envolve o mundo do entretenimento, além de falar das principais noticias sobre o dia a dia.