Operação contra pirataria digital realiza buscas em 12 estados

Os alvos da investigação são 210 sites de transmissão de filmes e séries ilegais

Na manhã desta sexta-feira (1) a Polícia Civil realizou uma operação contra a pirataria digital que abrange 12 estados do país. A operação está sendo coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. O objetivo da operação agora é bloquear ou suspender cerca de 210 sites que fazem transmissão de séries e filmes de forma ilegal. Além disso, também estão buscando o bloqueio de mais de 100 aplicativos que realizam o serviço de streaming também de uma forma ilegal. Até o momento foram presas três pessoas em flagrante em São Paulo.

A ação agora também irá buscar meios de que estes conteúdos não apareçam em pesquisas feitas através de sites como o Google. Com isso eles pretendem ainda remover os perfis e paginas das redes sociais dos sites que disponibilizam este tipo de conteúdo. A Polícia Federal conta com uma lista com os nomes dos usuários dos serviços piratas.

A polícia agora irá cumprir cerca e 30 mandados de busca e apreensão que irão englobar os estados do Amazonas, Goiás, Bahia, Mato Grosso, Espírito Santo, Santa Catarina, Minas Gerais, São Paulo, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte.

A operação recebeu o nome de 404, que é o que aparece quando um site se torna indisponível online. Para que seja realiza a operação agora está contando com o apoio da Ancine, das associações de proteção à propriedade intelectual no Brasil, Conselho Nacional de Combate à Pirataria e Delitos contra a Propriedade Intelectual (CNCP), Departamento de Justiça dos Estados Unidos da América e Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

Foi levantado que os dez sites piratas com maior volume de tráfego do Brasil chegaram a receber em 2018 1,3 bilhão de visitas. Estes sites receberam R$17 milhões em receita publicitária entre agosto de 2015 a agosto de 2016.

 

Escrito por Redator Seguindo News

Escrevo sobre os mais diversos temas. Prezo pela parceria com os publishers. Os divulgadores que precisam de matérias específicas podem solicitar.