Operação resgata 19 mulheres e 4 bebês de “fábrica de bebês” na Nigéria

As mulheres são encaminhadas a esses estabelecimentos com a promessa de emprego e escravizadas

Recentemente, uma operação contra o tráfico humano na Nigéria revelou uma realidade aterradora. Mulheres que partiram em busca de emprego e melhores condições de vida, acabaram sendo estupradas, escravizadas e ainda precisaram ver os seus bebês sendo colocados à venda.

Durante a operação em questão, a mais recente do país, as autoridades da Nigéria libertaram cerca de 19 mulheres vivendo na situação descrita. Além delas, foram encontrados 4 bebês também mantidos em cativeiro. O local em que eles estavam é chamado no país de “fábrica de bebês” e se localiza em Lagos, a maior cidade nigeriana.

De acordo com as autoridades envolvidas no caso, as mulheres em questão foram enganadas. Nesse sentido, é possível destacar que elas foram levadas até o local pela promessa de um emprego, mas o objetivo das pessoas envolvidas na operação sempre foi engravida-las e vender os bebês em seguida.

Ainda de acordo com a policia, as crianças presentes no local seriam vítimas de tráfico. Entretanto, ainda não está claro a quem elas pertencem e quem seriam os seus compradores. Atualmente, estima-se que bebês do sexo feminino sejam vendidos por US$830 (R$3,4 mil) e os do sexo masculino são vendidos a US$1,4 mil (R$5,8 mil).

Também foram presas durante a operação duas mulheres que atuavam como enfermeiras, mas não possuíam formação adequada para tal. Porém, o principal suspeito de ser o cabeça da operação ainda está foragido.

Desde o ano de 2006, ocasião em que um relatório elaborado pela Unesco revelou a existência das “fábricas de bebê” na Nigéria, os centros em questão acabaram atingindo proporções ainda maiores no território do país. Isso se deve especialmente à pobreza e à falta de controle por parte das autoridades do país.

O relatório da Unesco também apontava que algumas das mulheres presentes nessas fábricas se encaminhavam a elas por vontade própria. Entretanto, elas não sabiam exatamente o que as aguardava uma vez que estivessem no local e optavam por ir apenas por precisar do dinheiro.

As mulheres resgatadas na última operação têm idades entre 15 e 28 anos. Elas foram levadas à cidade de Lagos com a promessa de emprego e mantidas em cativeiro desde então.

Escrito por Redator Seguindo News

Escrevo sobre os mais diversos temas. Prezo pela parceria com os publishers. Os divulgadores que precisam de matérias específicas podem solicitar.