Superação: a comovente história de uma mulher que luta contra o racismo devido ao amor que a une a um homem branco

Todas as grandes brigas de Sophia Mattos e Matthew James são por causa de questões raciais. Eles e amam e permanecem juntos.

A Revista Claudia, com Gabi Amarantos na capa, traz historias de superação do preconceito racial.

A história a seguir é de Sophia Mattos e Matthew James, da luta que travam contra o racismo e do imenso amor que os une.

Na infância, sempre pensei que teria um relacionamento com um homem negro.

Estudei em escola particular e era a única negra. Até a adolescência, ninguém queria ficar comigo. Nem dupla na festa junina eu tinha. Dançava com um menino que também era rejeitado por ser boliviano. Portanto, imaginava que, se houvesse um menino negro no colégio, eu poderia ter esperança de ele ficar comigo. Até aconteceu de alguns garotos brancos demonstrarem interesse, mas não assumiam publicamente por vergonha. Então, me apaixonar por um branco era certeza de frustração.

Certa vez minha mãe me disse: “Você é tão bonita que deveria ficar com uma pessoa branca”. Não a culpo ou julgo. Ela ouviu isso durante a sua criação. E, na verdade, tanto homem negro quanto homem branco dificilmente assumem uma mulher negra.

Matthew foi o primeiro cara que me assumiu como namorada – seis dias depois do primeiro encontro. Nunca vi minha mãe tão feliz na vida. Ele é ótimo, mas não dá para ignorar o fato de que é branco. Se fosse negro, não seria tão bem tratado em qualquer lugar, sabe?

Estamos juntos há quatro anos. Como Matthew é australiano, ainda não conheço os pais e os amigos dele pessoalmente. Só nos falamos virtualmente, mas eles nunca demonstraram nenhum preconceito. Não sei como será pessoalmente. Já deixei claro para ele que sinto medo desse encontro. As piores brigas que eu e Matthew tivemos foram por questões raciais. Ele tem um discurso ingênuo de que todos somos iguais.

O que você acha da história dos dois?

Quando nos conhecemos, eu morava numa casa minúscula, bem diferente da dele. Tento falar da realidade que é ser negra no Brasil e, às vezes, não que ro a opinião dele, só alguém para me escutar. Não é porque ele está com uma mulher negra que não será racista.

Ao final, colocando na balança, o amor é maior. Matthew nunca deixou de falar dos sentimentos dele por mim. E até hoje me aceitou com todas as minhas facetas, assim como eu abracei as características múltiplas dele. Para mim, isso é parceria, mesmo que as realidades não sejam as mesmas.

Escrito por Telma Myrbach

Colunista de notícias e fatos sobre famosos, entretenimento e o que se relaciona à mulher e seus direitos e deveres, bem como maternidade