Tomar este medicamento comum na gravidez aumenta o risco de autismo e TDAH no bebê

Usar este medicamento durante a gestação, aumenta o risco das crianças desenvolver autismo, e ou, TDAH.

Uma pesquisa realizada, apontou que o uso de um determinado medicamento, que inclusive é muito conhecido no mercado e utilizado por conter propriedades analgésicas, que atual abaixando a temperatura febril e que também pode ser usado em casos de dores moderadas, no final da gravidez, aumenta as chances de o bebê desenvolver autismo. Este estudo apontou que usar paracetamol, já no final da gravidez, aumenta o risco de os bebês desenvolver autismo, e ou, TDAH transtorno de déficit de atenção e hiperatividade.

Pesquisadores analisaram o sangue do cordão umbilical de bebês recém-nascidos e chegaram a esta conclusão. Para este estudo, os pesquisadores, compararam bebês que apresentavam maior concentração de paracetamol no sangue da placenta, com outros bebês que continham menor concentração do remédio no sangue, o resultado apontou que, aqueles bebês cujo sangue apresentou maior quantidade do medicamento, desenvolveram autismo, e ou, TDAH.

No entanto, este não foi o único estudo que comprovou que o uso do paracetamol pode desencadear autismo, e ou TDAH nas crianças. “Nossas constatações colaboram com pesquisas anteriores que já haviam observado esta relação também em outras fases da gestação”, explicou Dr. Xiaobin Wang, autor da pesquisa realizada. Xiaobin, também é professor de pediatria em uma universidade de Baltimore, nos Estados Unidos.

Segundo Xiaobin Wang, outras pesquisas já haviam confirmado, que o paracetamol, consegue passar pela placenta. Para este estudo realizado, Xiaobin e sua equipe, contaram com cerca de 996 mães e seus filhos. As crianças que participaram do estudo, tiveram seu crescimento e desenvolvimento acompanhados até os 10 anos de idade. O estudo foi divulgado na última quarta-feira, 30, e, revelou que as crianças cujo o sangue da placenta continham alto teor de paracetamol presente, tinham 3 vezes maiores chances de desenvolver autismo, para TDAH o risco foi de 3,6 vezes maior, do que as crianças com menor quantidade do paracetamol.

 

Escrito por Luh Me

Colunista de notícias, dedicada a Tv e famosos, notícias, entretenimento, saúde, receitas culinárias e curiosidades.