Vítima pediu ajuda, testemunha gritou, mas os seguranças não pararam e homem morreu no Carrefour

O homem negro de 40 anos foi agredido pelos seguranças e acabou vindo a óbito.

João Alberto Silveira Freitas tinha 40 anos e morreu em uma loja do Carrefour em Porto Alegre após ser agredido brutalmente por dois seguranças. Ele morreu à véspera do Dia da Consciência Negra e hoje houve protestos pro todo o Brasil.

A esposa da vítima, Milena Borges Alves, contou que estava no supermercado com seu marido fazendo compras e ficou em choque com o que fizeram com ele. Milena ouviu João Alberto gritando por socorro, enquanto os dois seguranças o espancava.

Me ajuda“, gritou à esposa em busca de ajuda, mas ela não podia fazer nada. Algumas pessoas gravaram o homem sendo agredido e as imagens viralizaram nas redes sociais.

A esposa deu uma entrevista à Rádio Gaúcha e contou que estava pagando a conta no caixa, quando o marido foi para o estacionamento, onde foi agredido brutalmente e morreu. Quando ela se aproximou do marido, que estava imobilizado, tentou ajudá-lo, mas foi empurrada pelos seguranças, enquanto João Alberto olhava para ela e pedia ajuda.

Uma testemunha contou que as pessoas começaram a gritar, pediam as seguranças para pararem de agredir o homem, mas eles continuaram. Um vizinho de João Alberto testemunhou tudo e disse que ficou chocado com o que viu.

Paulão Paqueta contou que estava chegando ao supermercado quando se deparou como vizinho sendo agredido. Ele e outras pessoas tentaram intervir, mas foram impedidos e viram a vítima morrer bem diante de seus olhos.

 

Escrito por Russel Morais

Escrevo notícias sobre o mundo dos famosos, os últimos acontecimentos do Brasil e no mundo, além de curiosidades, dicas, economia, tecnologia.