Você sabia? Efeitos do açúcar no cérebro são parecidos com os da cocaína

Na fase da infância e adolescência o cuidado com a alimentação devem ser redobrados.

Quem não gosta de uma sobremesa bem docinho após o almoço? Desde que a pessoa não seja portador de Diabetes, comer um docinho de vez em quando não tem problema nenhum, o problema é quando se come doce o tempo todo ou todos os dias, principalmente nos primeiros anos de vida.

Nas festinhas de aniversário e também em algumas comemorações, o doce rola solto, como diz um trecho da música da cantora Xuxa Meneghel, que fala sobre o assunto, “Doce Mel”.

mas acontece, que muitas pessoas não sabem que o doce é extremamente proibido entre as crianças na faixa etária do 2 anos de idade, ou do contrário, poderá causar um grande mal à saúde dos pequeninos que estão em desenvolvimento físico e mental.

A conclusão partiu de um estudo realizado pelos cientistas da Universidade da Austrália, e seu consolidado mostrou que o doce pode ter os mesmos efeitos que uma droga ilícita, especificamente a cocaína.

Os resultados foram registrado com base na comparação e pesquisa de comportamento e reações neuroquímicas as quais foram rigidamente observadas entre os efeitos das drogas e do açúcar e drogas, no cérebro.

Com isso, os pesquisadores afirmaram que o açúcar atende a todos os critérios semelhantes a uma substância que causa dependência e consequentemente o vício.

Segundo as pesquisas o doce é mesmo ‘viciante’ quanto mais você come, mais vontade você sente de comer.

O açúcar estimula a liberação de neurotransmissões na região do cérebro conhecida como centro de recompensa como as seguintes substancias: a nicotina, cocaína, heroína e o álcool.

Nas crianças o doce pode resultar em mudança deixando-as mais agitadas e com dificuldade de concentração.

Só que é muito difícil para os pais dos pequeninos deixarem de dar doces para os seus filhos. Ao contrario da cocaína o doce e aceito pela a população e é muito distribuído em festinhas de aniversario.

Escrito por Redatora Rn

Escritora desde 2012, antenada nas redes sociais, por dentro das novidades. Sempre estudando e buscando o melhor para transmitir nas mídias.